Sobre ver filmes na TV

Post rapidinho, só pra não perder a inspiração repentina e madrugadora.

Chega um dia em que todo amante de cinema e pretenso escritor (nem que seja só de blogs) escreve sobre como os filmes foram e são importantes em suas vidinhas miseráveis, como eles ajudaram a serem o que são, etc. Bem, hoje não é este meu dia.

Agora são três e três da manhã, de sexta para sábado. Acabo de ver no twitter alguém (mentira, não é só alguém, é o @jovemnerd) comentando que daqui a pouco vai passar Aliens - O Resgate no Corujão da Globo. Aliens é um filme que eu adoro, e posso dizer que, ainda hoje, é um dos filmes de ação mais foda que existe.

Aí que eu fiquei com vontade de assistir. Só que eu tenho o Bluray desse filme (aliás, comprei o box da quadrilogia, cheio de extras, pra quem gosta da série, é bem legal). Aí me bateu a seguinte questão: se eu tenho o bluray, com qualidade superior (imensamente superior no meu caso, já que TV aqui em casa é uma negação em termos qualitativos), por que não simplesmente colocar o disco pra tocar?

Acontece que estou na dúvida se eu assisto na TV ou no Bluray. Pior, provavelmente assistirei na TV, mesmo com propagandas e com uma provável dublagem capenga. Por que? Porque sou idiota? Não. Quer dizer, sou idiota por outros motivos, não esse. Mas é que, pra quem tem em torno dos trinta anos (como eu), cresceu vendo filmes na televisão. E mais, provavelmente passou finais de madrugada, depois de voltar de alguma balada ou festa, sem ter pego ninguém, assistindo Corujão na Globo. Ou mesmo só deixando a TV ligada enquanto fazia algum trabalho escolar até a madrugada. Ou simplesmente vendo TV de madrugada porque adolescente tende a trocar o dia pela noite.

Não importa, ver TV carrega um componente emocional. Quando eu viajo a uma cidade que não conheço, quando desembarco do avião ou ônibus (mais provavelmente do ônibus), me sinto em outro tempo e lugar. É a sensação do novo, do inesperado, do inexplorado. E, geralmente, isso é acompanhado por uma certa apreensão, um certo medo. Que, pra mim, é dissipado ao eu fazer duas coisas. A primeira é olhar para o céu e perceber que é basicamente o mesmo céu que eu olho de onde estou acostumado. E a segunda coisa, é comer um pão de queijo com café (sempre tem pão de queijo, ou salgado similar) num barzinho de rodoviária (ou muito raramente, no meu caso, num aeroporto) e ver a TV ligada, que invariavelmente vai estar sintonizada na Globo.

Talvez este post tenha ficado sem muito sentido, mas é que estou correndo. Porque o filme já vai começar...

P.S. Que programa chato pra caramba esse corujão de esportes.

4 Response to "Sobre ver filmes na TV"

  1. Ana Paula says:

    Sempre que cozinho, deixo a tv ligada...

    Sei lá, mania.

    G.K.B says:

    Me lembro quando assistia House e Nip Tuck na TV. Duas séries fantásticas! Tô com 21 anos, mas logo que começaram a ser transmitidas pelo SBT e pela Record, nem imaginava que dava para baixar..

    Hoje que sei, só assisto baixando. Mas lhe entendo. Eu sitno falta daquela nostalgia que era esperar 1 semana por aquele episódio.. e de se programar para aquele horário.

    Paz,

    Visitando alguns blogs me deparei com o seu comentário e me agradei em conhecer seu espaço.
    Gostei dos posts. E aqui estou para convidar a também visitar meu blog.
    http://frutodoespirito9.blogspot.com/
    Se gostar, o convido a seguir-me, e eu retribuirei o carinho.

    P.S. Estou indicando o blog de um irmão, que postou algumas mensagens polêmicas para alguns, as mesmas denunciam as calamidades que ocorrem no meio evangélico. Espero que goste!
    Acesse e confira:

    http://discipulodecristo7.blogspot.com/

    Em Cristo,

    ***Lucy***

    Aguardo visita e comentário...

    Renata says:

    É estranho isso. Na verdade, tenho sorte de um dos meus filmes favoritos da infância nunca ter sido lançado em DVD ou Blu-ray no Brasil. Assim, sempre que ele aparece no Corujão, Inter Cine ou similares, posso me render sem culpa. (embora ele ande bem desaparecido, coitado)

Postar um comentário

Powered by Blogger